In Cuidados e Tratamentos

O ouvido capta vibrações do ar (sons) e as transforma em impulsos nervosos que o cérebro “ouve”. O ouvido externo é composto pelo pavilhão e pelo canal auditivo. A entrada do canal auditivo é coberta de pelos e cera, que ajudam a mantê-lo limpo.

O canal auditivo leva o som a uma membrana circular e flexível, chamada tímpano, que vibra ao receber ondas sonoras. Esta, por sua vez, faz vibrar, no ouvido médio, três ossículos, que ampliam e intensificam as vibrações, conduzindo-as ao ouvido interno.

O ouvido interno é formado por um complexo sistema de canais contendo líquido aquoso. Vibrações do ouvido médio fazem com que esse líquido se mova e as extremidades dos nervos sensitivos convertem esse movimento em sinais elétricos, que são enviados ao cérebro, através do nervo da audição (nervo auditivo).

Trate bem os ouvidos e previna-se de alguns males

Otites

Mesmo os mais simples e correntes problemas dos ouvidos são desagradáveis. Temos dificuldade em nos concentrar quando somos atacados por zumbidos ou por apitos. Isolados e passageiros, estes problemas são geralmente benignos e não necessitam de uma consulta ao médico. Mas como é que surgem e como podem ser evitados?

Ouvir sons agudos e zumbidos é muito frequente. Se ocorre a uma pessoa que apresenta hipertensão arterial, podem estar ligados a um aumento da tensão e uma consulta é necessária. Da mesma maneira, vertigens, zumbidos e perturbações visuais exigem que uma mulher grávida se dirija imediatamente à maternidade para eliminar a suspeita e tratar a hipertensão arterial.

Se estes sintomas não se manifestam, trata-se geralmente de um problema sem gravidade. Na verdade, os apitos, zumbidos e dores auditivas passageiras são situações muito frequentes e, felizmente, geralmente benignas.

No entanto, o fato de normalmente não implicarem consequências graves não os torna propriamente agradáveis. Por isso, o melhor é saber como os evitar. Podem, por exemplo, ser provocados por uma gripe: a inflamação atravessa a trompa de eustáquio e provoca uma otite. Para a evitar, é necessário tratar a inflamação o mais rapidamente possível e não deixar arrastar-se.

Algumas dores sentidas ao nível dos ouvidos são exteriores ao órgão da audição. Com efeito, um problema de articulação dentária devido a uma má organização da dentição pode dar a sensação de se sofrer dos ouvidos. Outras dores podem, igualmente, irradiar até ao ouvido: um dente molar cariado, por exemplo.

Zumbidos no ouvido

Os zumbidos podem atingir apenas um ouvido ou ambos. Podem dever-se a uma exposição excessiva ao ruído e desaparecem rapidamente num ambiente calmo. Contudo, o ruído pode ter consequências irreversíveis.

Pode acontecer que os zumbidos se façam acompanhar por uma perda auditiva. Neste caso, a única opção razoável é uma consulta ao otorrino. A prevenção destas situações consiste em limitar ao máximo a exposição às perturbações sonoras. As pessoas sujeitas a zumbidos devem evitar lugares com grande barulho.

Limpeza dos ouvidos

A primeira regra de limpeza do canal auditivo nunca pode ser esquecida: não introduzir nunca objetos ou instrumentos no canal auditivo.

A utilização de cotonetes deve ser limitada ao pavilhão e à entrada do canal auditivo. Não se deve ir mais longe, pois o cotonete empurra mais o cerúmen do que aquilo que retira.

Na verdade, a introdução do cotonete acaba por favorecer a formação de rolhas de cerúmen. Além disto, o cotonete pode provocar lesões no tímpano se for introduzido muito profundamente.

A lavagem com água e sabão é uma hipótese, mas não é indispensável. O canal auditivo externo faz de certa maneira a sua auto-lavagem, pois o cerúmen que segrega tem propriedades antisépticas. Ao mesmo tempo, a falta de cerúmen pode provocar lesões cutâneas.

Para ter os ouvidos limpos e sãos, basta limitar a limpeza à parte externa do ouvido e deixar que o organismo se encarregue do resto.

IMPORTANTE

Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search